Citando: "Ressacado"


Hoje, me acordei ressacado desse teu amor.
Foi meu último porre de você.
Bebi pra esquecer.
Dancei pra me libertar.
Cantei pra não sufocar.
A única coisa que queria naquela noite era beber mais de você pela última vez.
Sem copos.
Sem doses.
Queria te revirar de uma vez, em um gole só.
Sem pestanejar.
Sem fazer caretas por conta do teu alto índice de álcool.
Sempre concentrado.
Por conta, dessa tua auto suficiência sempre me via forçado a ir ao teu encontro. Implorar as migalhas desse teu amor esmiuçado, dado com tanta irrelevância.
Pra mim você era único, enquanto pra Você eu era apenas mais um. Mais um a preencher tua cama. Mais um a satisfazer teus desejos e anseios, tuas necessidades.
Não havia troca.
Enquanto você saia com tudo de mim, eu me contentava com a metade do teu pouco. E por vezes precisei lidar com essa agonia dentro de mim.
Demorei pra perceber que essa agonia era um sufoco, e esse sufoco era você relutando dentro de mim. Que essa dor de cabeça era culpa tua. Que esse aperto no peito, essa inquietação, essa insônia, eram reações contrárias à ingestão por mais de ti em mim.
Já não me importava mais.
Já não me afetava mais e aos poucos a minha necessidade por mais, tornou-se totalmente desnecessária em minha vida, como um todo.
Você passou a ser, apenas, mais um nome a me vir na mente. Mais uma fisionomia dentre tantas outras que eu pudesse encontrar nas ruas em meu dia a dia. Mais uma mera lembrança. Assim como todas as outras.
Mais uma ressaca dentre tantas outras.

O autor: "Reges Medeiros é como se fosse um fake de mim mesmo, podemos dizer que seja um pseudônimo.

Gosto de pensar que tenho dois nascimentos, no primeiro recebi o nome de Reginaldo Macêdo de Medeiros, um Pernambucano e cidadão Olindense tímido, retraído, sem saber como expressar-se diante dos 'gigantes' desta terra. Um garoto que desconhece o seu valor e papel na sociedade, no entanto um garoto cheio de vida e apaixonado pelas coisas simples do viver. O outro nascimento se deu quando passei a reconhecer e compreender esse meu  valor e papel na sociedade, quando se fez nescessário um sepultamento de ideias e pessoas antigas e sentimentos que estavam a me consumir de uma forma errada. Nasce Reges Medeiros, um jovem ousado e sonhador. O tipo de pessoa que presa por sinceridade, transparência e respeito. Alguém que gosta do que é verdadeiro!

Dentre a música e dança está a minha paixão pela leitura e escrita. Sempre gostei de escrever, escrevia cartas para meus pais, amigos e namoradas. Cartas enormes por sinal, rs. Mas até então sempre foi algo muito pessoal, escrevia e guardava apenas para mim como uma espécie de diário. A partir desse ano passei a publicar meus pensamentos como uma forma de desatar os nós que ficaram e por vezes tentam ficar em minha garganta, uma forma de expressar meus sentimentos e ponto de vista das coisas. Coincidentemente as pessoas gostam e as vezes se identificam e isso é gratificante e estimulante para mim. Na verdade nunca começo a escrever para as pessoas diretamente, antes de tudo escrevo para mim mesmo, como disse 'para desatar os nós'." Reges Medeiros é de Olinda e tem 20 anos. (Fonte: Perfil Recanto das Letras)


1 comentários: