Citando: "Dá-me a Tua Mão"


Dá-me a tua mão: Vou agora te contar como entrei no inexpressivo que sempre foi a minha busca cega e secreta. De como entrei naquilo que existe entre o número um e o número dois, de como vi a linha de mistério e fogo, e que é linha sub-reptícia. Entre duas notas de música existe uma nota, entre dois fatos existe um fato, entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam existe um intervalo de espaço, existe um sentir que é entre o sentir – nos interstícios da matéria primordial está a linha de mistério e fogo que é a respiração do mundo, e a respiração contínua do mundo é aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio. 

A autora: Com toda a certeza vocês já ouviram falar da autora desse belo texto acima, Clarice Lispector. Nasceu em Tchetchelnik - Ucrânia em 1925 e morreu no Rio de Janeiro em 1977, passou a infância em Recife e em 1937 mudou-se para o Rio de Janeiro, onde se formou em direito. Estreou na literatura ainda muito jovem com o romance Perto do Coração Selvagem (1943), que teve calorosa acolhida da crítica e recebeu o Prêmio Graça Aranha. Em 1944, recém-casada com um diplomata, viajou para Nápoles, onde serviu num hospital durante os últimos meses da Segunda Guerra. Depois de uma longa estada na Suíça e Estados Unidos, voltou a morar no Rio de Janeiro. Entre suas obras mais importantes estão as reuniões de contos A Legião Estrangeira (1964) e Laços de Família (1972) e os romances A Paixão Segundo G.H. (1964) e A Hora da Estrela (1977).  (Fonte: Pensador)

2 comentários:

  1. Ei, para de ser tão perfeita com esse blog :3

    é muito divo aqui, ♥

    Beijo
    foupourlivres.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá Cida, muito obrigada, divo é o seu blog!

    Beijos!

    ResponderExcluir